Meu Filho não é apenas um bebê. Juro. Suspeito ser ele a doçura, em pessoa! Um sorriso em forma de criança... Talvez um baú pequenino repleto de encantos... Ou até mesmo um raiozinho que escapuliu do sol e veio parar aqui, na minha vida!
Ele não é uma simples pessoa, confesso...É um serzinho sublime, muito pequeno, dependente. Eu acho... Mas dentro dele cabe a maior felicidade do mundo! Temo algum dia eu explodir, de tanto orgulho. Ou morrer, de tanto amor!
(Por Daline Carla)

sábado, 29 de outubro de 2011

Momento decisivo!

Meu filhote está numa fase decisiva entre ser bebê ou o “moção lindo da mamãe”. Esses 1 ano e 7 meses cercados de mimos e carinho mostraram para ele como é bom ser bebezinho,  por outro lado, já é tentador para ele ser independente e fazer tudo “tuzinho”. Pois é, quer fazer tudo sozinho. Eu continuo tratando ele como sempre, com muito amor, dengo e carinho, porém evito estimular nele o comportamento de nenénzinho, pois todos os avanços que vem pela frente dependerão de ele concordar em ser o moção da mamãe... 


E ele entende perfeitamente essa relação, só não decidiu ainda o que quer ser. Pede chupeta e fralda o dia todo, eu digo que ele não precisa, que é moção... ele discorda veementemente, dizendo com a voz mais linda deste mundo:”não! Neném!”.  Já quando consegue desempenhar uma tarefa de maior dificuldade, como subir escadas ou comer sozinho, ele mesmo se parabeniza se autoafirmando moção. Logo em seguida completa: “indo!”.
Cada vez ficam mais frequentes aquelas cenas que marcam, nesses momentos o sonho de consumo seria ter uma câmera à mão...Mas fica tudo registrado no coração de mãe, e a mamãe babona sai compartilhando com todo mundo...
Cena 1: Caio corre na cozinha, rouba uma maçã na fruteira e vai para o quarto. Instantes depois fui encontra-lo escondido debaixo da cama, mordendo a maçã. Até agora fico me perguntando porque ele se escondeu, porque não pediu...quem sabe algum dia ele me conte?


Cena 2: Fomos à praia e papai não foi pois ia trabalhar. Caio, que é fã do papai, na ausência deste, grudou na mamãe. Ele compensou todas as aulas do curso “fale mamãe” que ministrei a ele por meses há fio há algum tempo atrás... Dizia tanto “mamãe”, “a minha mamãe”, “mamãe ti amo”, “mamãe adádi”, mamãe, mamãe e mais mamãe... que cheguei a cansar! Abaixei, olhei ele nos olhos e disse: “Filho, para um pouco de falar mamãe!” . Assim que me levantei ele passou a repetir sem parar: “Daíne! Daíne! Daíne!”. Que obediência e estratégia genial, não?
Cena 3: Ainda na praia, domingo pela manhã... crianças prontas para irem à praia, e os adultos ainda se arrumando. Os priminhos Caio, Gigi e Alice, impacientes e ansiosos, resolveram agir:  cada um pegou o seu baldinho de areia e foram andando juntinhos, lado a lado, sozinhos, e dizendo”páia! Páia!” Ah essa foi demais, tive de chamar todo o pessoal para presenciar a cena. Felizmente os pequenos foram barrados no portão do condomínio, sãos e salvos.
Caio gostou tanto da praia que ainda me lamento por morararmos longe dela... Uma semana depois ele ainda diz todos os dias: “Na páia! A onda...o sol...a aieia...o mar!” Aaain que saudades da praia!
Já demorou, mas finalmente to postando aqui fotos das priminhas amadas do Caio, Gigi e Alice, bonecas da titia!


3 comentários:

  1. Daly, me encanto com seu jeito de escrever, Parabéns!!!!

    ResponderExcluir
  2. É, deveria começar a pensar em escrevr livros, que tal??

    ResponderExcluir